NeuroBrain: 4 patologias investigadas pela neurorradiologia

NeuroBrain: 4 patologias investigadas pela neurorradiologia

O NeuroBrain une o que há de mais inovador em tecnologia médica e a experiência de uma empresa que atua no mercado de telerradiologia há mais de quinze anos com um objetivo comum: tornar o diagnóstico de deficiências cognitivas e perda de memória mais ágil e assertivo. 

Estima-se que somente no Brasil mais de 1 milhão de pessoas vivem com alguma forma de demência. São diagnosticados aproximadamente 100 mil novos casos a cada ano. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), no mundo todo esse número chega a 55 milhões, com 10 milhões de novos casos por ano.

Por isso, quando o assunto é doenças neurodegenerativas, um diagnóstico assertivo e na hora certa é fundamental para conter os danos e impedir a progressão da demência. Pensando na relevância dos exames de neuroimagem nesse processo, a Teleimagem está implementando o NeuroBrain: uma inovadora técnica de avaliação por inteligência artificial por meio da qual é possível entregar o laudo com assertividade em um curto espaço de tempo. 

O processo é feito usando ressonância magnética do crânio. Com esse exame de imagem, é possível analisar ossos e músculos da cabeça, avaliar condições degenerativas e lesões cerebrais, e a entrega de laudos é feita em poucas horas. 

Entenda como esse método pode ser utilizado e quais doenças podem ser identificadas com ele de forma a agilizar o tratamento. Boa leitura! 

Patologias que podem ser investigadas com o NeuroBrain

Esclerose Múltipla

Essa é uma doença autoimune que atinge o cérebro. Estima-se que atinge cerca de 40 mil pessoas, uma incidência média 15 casos por 100.000 habitantes, sendo que a maioria deles são jovens. 

A Esclerose múltipla é caracterizada por seu caráter debilitante e a piora se deve ao fato de que a doença degenerativa é desencadeada por um ataque das células de defesa do corpo ao próprio sistema nervoso. Esse processo causa lesões no cérebro e na medula. 

A progressão da doença costuma ser rápida e, por isso, obter um diagnóstico rápido e objetivo é fundamental. Nesse sentido, contar com os melhores equipamentos e tecnologias é um diferencial tanto para a clínica de imagem quanto para os pacientes que buscam tratamento. 

A clínica deve estar preparada para realizar a ressonância magnética do crânio, afinal, é esse exame de imagem que mostra as zonas de desmielinização no cérebro e na medula espinhal.

Alzheimer Avançada e NeuroBrain

O Alzheimer é a forma mais comum de demência no idoso. A doença neurodegenerativa é caracterizada pela perda progressiva de neurônios no hipocampo, a região do cérebro que controla a memória, e no córtex cerebral, região que processa a linguagem, memória, raciocínio, reconhecimento de estímulos sensoriais e o pensamento abstrato.

Frear os sintomas e iniciar o tratamento de forma precoce é a melhor maneira de limitar a progressão dos sintomas e a demência, já que o Alzheimer é uma doença ainda sem cura. Por isso, o diagnóstico precoce é fundamental na contenção dos danos provocados pela doença e para garantir mais qualidade de vida para os pacientes.

A ressonância magnética é o exame mais indicado para diagnosticar o Alzheimer de forma rápida e eficaz.

Atrofia Hipocampal

Essa é uma complicação comum entre pacientes com neurocisticercose, uma infecção causada pela larva da teniase, mas também pode acometer pacientes com Alzheimer e outros tipos de doenças degenerativas.

A medição do Hipocampo é um recurso clínico útil para investigar qual o estágio de evolução de doenças neurodegenerativas e o nível da deterioração das funções cognitivas. 

Para fazer essa checagem, o exame mais indicado é a ressonância magnética.

Degeneração Corticobasal

Resultado de uma anomalia na proteína tau que se acumula no cérebro, causando danos a células nervosas e outras células cerebrais em certas áreas, essa é uma doença neurodegenerativa progressiva, rara e difícil de diagnosticar, uma vez que pode ter sintomas muito semelhantes a outras doenças como Parkinson. 

Exames de imagem como a ressonância magnética (RM) são úteis para esse diagnóstico que é complexo: os exames de imagem ajudam a excluir outras doenças que possam imitar a Degeneração corticobasal, além de ajudar a identificar padrões de atrofia. 

Uso da Ressonância Magnética na detecção de doenças neurodegenerativas

O NeuroBrain usa exames de imagem realizados pelo aparelho de Ressonância Magnética Mínimo 1,5 Tesla Campo Fechado. Essa tecnologia permite obter imagens de alta resolução, sendo considerado o sistema mais confortável para o paciente. 

A ressonância magnética é capaz de gerar imagens em alta resolução e por isso possibilita identificar anomalias estruturais no cérebro, coluna vertebral e medula espinhal.

Outra vantagem está na rapidez: o processo para obtenção das imagens varia de 15 a 30 minutos. Pouco tempo, considerando que esse exame é fundamental no diagnóstico de todas as patologias citadas anteriormente. Além disso, quando comparado com outros procedimentos, esse exame se demonstra muito mais eficiente. 

O nosso software faz uso de Inteligência Artificial para processar diferentes exames radiológicos de um banco de dados e comparar imagens, buscando resultados de forma rápida, eficiente e tecnológica. 

Ou seja, todos os exames são coletados e analisados pelo que há de mais novo em tecnologia e são revisados por médicos radiologistas com experiência em neurorradiologia

Ao aliar tecnologia e nomes renomados da medicina, o resultado não poderia ser diferente: laudos mais assertivos, graças à rápida avaliação de um amplo banco de dados de casos semelhantes, possibilidade de otimizar o tratamento, fazendo a intervenção mais coerente para cada quadro clínico e muita agilidade!

Ficou interessado? Entre em contato conosco para saber mais sobre este novo serviço da NeuroBrain e como inserir os protocolos nos equipamentos.

Qualidade, confiança e precisão são as marcas do nosso trabalho. 

Entre em contato pelo fixo ou WhatsApp: (011) 4063-6150 ou solicite contato através do nosso formulário do site clicando aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Conteúdo do texto

Artigos

Outros Artigos