fbpx

Entenda sobre o PADI – Programa de Acreditação em Diagnóstico por Imagem

Quando o assunto é saúde, há muitas instituições que prestam serviços à comunidade. Seja um laboratório, uma clínica ou um hospital, o ideal é que a organização realize bem aquilo que se propõe a fazer. Em todo caso, existem órgãos que são responsáveis por promover a fiscalização dos mais diversos setores a fim de assegurar a qualidade dos serviços que são contratados.

É possível observar essa prática na medicina. De forma mais específica, quando se fala de diagnóstico por imagem, existe uma certificação chamada PADI, a qual vamos esclarecer o funcionamento e vantagens de sua existência. Continue a leitura e confira!

O funcionamento do PADI

A princípio, vamos abordar um pouquinho da história do serviço. Depois, vamos analisar seus objetivos e funcionamentos. Veja:

A história do Programa

O PADI, Programa de Acreditação em Diagnóstico por Imagem, surgiu no ano de 2015. Sua criação e implementação é de responsabilidade do Colégio Brasileiro de Radiologia (CBR), atuando em parceria com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Embora seu surgimento seja recente, é preciso reforçar que já existiam normas de certificação associadas a exames específicos. Em 1992, por exemplo, teve início o Programa de Certificação de Qualidade em Mamografia, que foi pioneiro nesse tipo de atestado que qualidade. Posteriormente, a análise dos serviços passou a englobar os demais exames envolvidos, aumentando a gama de acreditação.

Porém, era necessário um posicionamento mais amplo que englobasse todo o cenário do diagnóstico por imagem. Pensando nisso, o CBR se posicionou e se capacitou para criar diretrizes capazes de contemplar as necessidades. Com o auxílio de especialistas e técnicos, os critérios foram desenvolvidos e revisados, abrangendo desde a realização dos exames até aspectos legais vinculados à área.

Assim surgiu o PADI. Sua criação representou um grande avanço para a radiologia e, em 2017, dois anos após o surgimento, a International Society in Quality Healthcare (ISQua) acreditou o Programa, atestando sua validade e alinhamento em cenário internacional.

Os objetivos do PADI

As principais metas do Programa é analisar e direcionar para a qualidade, segurança e sustentabilidade na realização dos exames de imagem. Reiteramos nesse momento que a execução em si não é o único parâmetro avaliado, mas também todos os processos prévios e posteriores a ela, como:

Para cumprir com esse objetivo, há uma série de critério e normas, elaborados cuidadosamente para contemplar uma aferição completa e atestar o nível de serviço prestado. É interessante dizer que o Programa não é voltado para fiscalização ou verificação de cumprimento de normas, mas visa proporcionar um referencial de qualidade para pacientes e clínicas.

Diferentemente de outros programas de acreditação, a adesão ao PADI é voluntária, podendo ser feita por instituições públicas ou privadas. Por fim, as diretrizes contemplam as seguintes áreas:

  • densitometria óssea;
  • mamografia;
  • medicina nuclear;
  • radiologia geral;
  • radiologia intervencionista;
  • ressonância magnética;
  • tomografia computadorizada;
  • ultrassonografia.

As diretrizes técnicas do programa

Para entender melhor o funcionamento da norma, é preciso ficar claro que ela se divide em 5 princípios, que serão melhor detalhados a seguir. Cada um deles apresenta um intuito bem-definido, sendo compostos de padrões para orientação necessária. Embora sejam princípios distintos, a análise requer uma visão global do local a ser acreditado. Confira quais são eles:

Governança e Gestão Administrativo-Financeira

O primeiro princípio figura como uma visão mais administrativa do âmbito de diagnósticos. Envolve, principalmente, as políticas adotadas para governança, além dos objetivos e metas traçados por determinada organização.

Analisando tais aspectos e associando com as atividades operacionais, é possível chegar a uma conclusão acerca da saúde econômica local, a qual deve representar a sustentabilidade financeira prezada pelo programa.

Gestão da Qualidade

Continuando no âmbito administrativo, a gestão da qualidade engloba os riscos do processo. Além de assegurar maior proteção, identifica oportunidades de melhorias que proporcionam maior qualidade dos serviços.

Avalia-se, ainda, a eficácia do sistema de gestão de qualidade, utilizando as políticas e os objetivos de qualidade para analisar o resultado de auditorias e os dados das ações, sejam elas para correção, sejam elas para prevenção.

Realização do serviço

Esse princípio contempla a execução do exame em si. Portanto, visa garantir maior segurança para pacientes e colaboradores durante esse momento. Além disso, são incentivadas práticas adequadas para cada situação. Por conseguinte, há o estabelecimento da documentação de registro, dos equipamentos, da infraestrutura e dos medicamentos necessários para obtenção de imagens de acordo com os protocolos.

Apoio Diagnóstico

O apoio diagnóstico nada mais é do que oferecer suporte para capacitar e habilitar os profissionais especializados. Além de lidar com a inteligência humana, o programa busca incentivar a atualização dos equipamentos da clínica, acompanhando o avanço tecnológico daquele cenário.

Gestão da Infraestrutura, Radiação e Segurança

O quinto e último princípio está voltado exclusivamente para as instalações do local. Assim, tem o objetivo de assegurar a infraestrutura e os equipamentos necessários para execução dos processos, prezando sempre pela segurança de todas as partes envolvidas e pela qualidade do serviço prestado.

Os benefícios da Acreditação

Por fim, é preciso refletir quem são, afinal, os beneficiados pelo Programa de Acreditação em Diagnóstico por Imagem. Sem dúvidas, tanto os pacientes, como também a equipe de colaboradores e toda a clínica obtêm vantagens da aplicação de normas e diretrizes.

Abordando, a princípio, as organizações, é possível que elas de adaptem ao que é prezado pelo Conselho e invistam constantemente em melhorias. Isso é saudável para o funcionamento clínica, além de assegurar uma posição de referência diante das que não se preocupam com a qualidade do serviço.

Para os profissionais, é extremamente interessante trabalhar em um local que oferece condições dignas para a realização de suas tarefas. Estruturação, organização, higiene, infraestrutura e equipamentos modernos são quesitos fundamentais para a prestação de serviços com maior qualidade por parte da equipe.

Por fim, o grande beneficiado é o paciente, visto que ele é o consumidor final de todas as medidas de qualidade adotas. Assim, é possível realizar escolhas acerca do melhor local com a garantia de que receberá retorno com excelência assegurada pelo programa de acreditação e comprometimento da clínica.

Concluímos, portanto, que o PADI representa um grande avanço para a radiologia. Embora não seja uma certificação obrigatória, sua implementação é fundamental por parte das organizações que se preocupam com a saúde, seja da própria instituição, seja dos pacientes. Assim, se consolida como referência no mercado, com desempenho de alto nível e reconhecimento dos esforços realizados para oferecer um serviço qualificado.

Viu só como o PADI é importante para todas as partes envolvidas? Compartilhe este artigo agora mesmo e mostre para seus amigos a importância da certificação!

Assuntos que podem te interessar

WhatsApp chat