Diagnósticos médicos cada vez mais resolutivos diminuem custos e melhoram a gestão

A tecnologia permite que a medicina avance na mesma velocidade em que dispositivos e ferramentas melhoram as tomadas de decisão, condutas e tratativas. Os métodos de diagnóstico são grandes exemplos desse avanço. 

 

Com precisão, rapidez e disponibilização online dos resultados, a telerradiologia tem ocupado cada vez mais espaço na rotina das empresas prestadoras de serviço de saúde, porque além de ela eliminar as distâncias entre os especialistas e os médicos plantonistas, por exemplo, ela elimina o espaço entre a opinião resolutiva e o paciente.  

 

Por isso, detectar o aparecimento de doenças de maneira precoce é um recurso que evita prejuízos à saúde, uma complicação ou sequela grave. A telerradiologia revolucionou o atendimento hospitalar e o diagnóstico médico, além de modernizar a comunicação nos ambientes de cuidado com a saúde.  

 

E com a telemedicina, torna-se possível o registro de todos os exames do paciente realizados dentro do hospital. Este histórico pode ser acessado a qualquer momento e de qualquer lugar, o que diminui os custos e otimiza os recursos. 

 

A produtividade aumenta com a telerradiologia. A Teleimagem, por exemplo, oferece plantão 24h, o que possibilita o atendimento de urgência, remoto e online. É este tipo de serviço que aumenta a capacidade produtiva dos profissionais de saúde. A área de diagnóstico por imagem é uma das que mais se desenvolve, assim como ressonância magnética, tomografias computadorizadas, o PET-Scan (Positron Emission Tomography), que usa medicina nuclear, por exemplo, antecipa alterações funcionais e permite prever patologias, antes mesmo delas aparecerem.

 

Tudo isso traz ótimos resultados financeiros, assim como comodidade e praticidade em “todas as pontas” do processo de atendimento médico. Para gestores, médicos e pacientes, é vital entender os lançamentos e manter-se sempre atualizado com relação à evolução tecnológica, que permite, cada vez mais, melhores (e mais precisos) diagnósticos médicos. 

 

Quais investimentos podem ser estratégicos na gestão hospitalar? 

 

Para quem vive o desafio de melhorar processos, indicadores e os números que envolvem a administração de hospitais, as novidades tecnológicas devem ser um norte importante para avaliação e análise detalhada do que cada recurso pode representar. 

 

Antes de investir em equipamentos, por exemplo, pode-se adotar o trabalho com equipes remotas, que dão agilidade e aumentam (muito) qualidade de determinados processos. A telerradiologia é um recurso que permite que as clínicas não mantenham estruturas internas, com subespecialistas para segunda opinião e custos com espaço, equipamento e infraestrutura – um impacto enorme na gestão. 

 

O laudos de imagem a distância podem (e devem) ser terceirizados, sem prejuízo algum da prestação de um serviço de excelência, pelo contrário, a telerradiologia pode aumentar o valor agregado do trabalho dentro de uma instituição/empresa/organização de saúde.

É o mesmo caso dos inúmeros recursos da telemedicina, que podem incluir cursos a distância de qualificação das pessoas; monitoramento remoto de pacientes (com o controle dos sinais vitais, por exemplo); assessoria de profissionais especializados em casos de alta complexidade – mesmo em regiões distantes do paciente; uso de aplicativos de comunicação para acompanhamento do quadro de saúde de pacientes; atestados, receitas ou prontuários emitidos online, diminuindo processos logísticos, riscos de fraude e custos com impressões. 

 

Enfim, a telemedicina está intimamente ligada à rotina de melhorias em diferentes setores dentro de uma instituição hospitalar e o investimento é, na imensa maioria das vezes, vantajoso. 

Assuntos que podem te interessar