Telemedicina aumenta o tempo e a produtividade

A telemedicina trabalha para complementar o corpo clínico e aumentar a eficácia da gestão no dia a dia, facilitando a tomada de decisão e encurtando distâncias.  

O prefixo “tele” remete à distância. 

Este campo de estudo usa a tecnologia da informação e da telecomunicação para transferir arquivos, compartilhar telemetria (sistema remoto de monitoramento).

Faz parte da rotina médica há muito tempo, seja na cessão de informações entre médicos ou entre centros de imagem e pesquisa, por exemplo.

Continue lendo para você entender porque muitas empresas estão aderindo a estes recursos para ganhar tempo e produtividade.

Laudos a distância 

O uso da telerradiologia se intensificou na década de 90 no Brasil e, desde então, sua regulamentação passou por mudanças. A última atualização, em 2018, mostra como a discussão continua em voga. 

Acesse aqui o documento completo e veja os três primeiros artigos da Lei:  

“Art. 1o Definir a telemedicina como o exercício da medicina mediado por tecnologias para fins de assistência, educação, pesquisa, prevenção de doenças e lesões e promoção de saúde.

Art. 2o A telemedicina e a teleassistência médica, em tempo real on-line (síncrona) ou off-line (assíncrona), por multimeios em tecnologia, é permitida dentro do território nacional, nos termos desta resolução.

Art. 3o Nos serviços prestados por telemedicina, os dados e imagens dos pacientes devem trafegar na rede mundial de computadores (internet) com infraestrutura, gerenciamento de riscos e requisitos obrigatórios para assegurar o registro digital apropriado e seguro, obedecendo às normas do CFM pertinentes a guarda, manuseio, integridade, veracidade, confidencialidade, privacidade e garantia do sigilo profissional das informações.” 

Contudo , no mundo todo, o acompanhamento de pacientes ganha novos recursos tecnológicos e evolui em velocidade avançada; e essa tendência não vai regredir. 

A telerradiologia encurta o tempo de tomada de decisão do médico, o que otimiza a gestão dos recursos, especialmente em casos de exames de alta complexidade.

Isso agiliza processos emergenciais e a entrega do resultado. 

Em quem confiar? 

Na Teleimagem, os exames são analisados pelos médicos radiologistas subespecialistas, que fazem a dupla leitura e revisão dos laudos. 

Nos casos complexos, há uma interação entre as equipes onde a discussão de caso faz  parte do processo de precisão no diagnóstico, e então os laudos são liberados para o Centro de Imagem, que encaminha  aos seus pacientes.

O atalho entre a Equipe Médica (equipe subespecializada de médicos radiologistas da Teleimagem) aumenta a capacidade de laudar, complementando o corpo clínico local.

Por exemplo, o que permite que diferentes especialidades “conversem” e cheguem a um senso comum sobre o exame.

Ainda está em dúvida sobre as melhores estratégias para ganhar tempo e produtividade? Saiba mais sobre o assunto. 

Leia: 5 Mitos e verdades sobre Telemedicina

Assuntos que podem te interessar